Depois de 9 meses você vê o resultado, rs

9

29 de março de 2016 por trupematerna

Não não, eu não gostava muito de crianças e nem sonhava em ser mãe até que um dia fui chamada como professora do CTR (Conserve Tua Rota), uma classe da organização da Primária na igreja que frequento: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. (quer saber mais? Clique Aqui).

Nesta época eu tinha acabado de completar 18 anos e no meu primeiro dia como professora já não queria mais sair da classe, fiquei encantada com as verdades espontâneas que elas diziam. De lá pra cá foram 8 anos na organização e posso dizer que o meu amor por crianças triplicou e a expectativa de ter minha própria família diminuiu porque o tempo passou e nem namorado eu tinha, rs.

Foi então que um belo dia meus pais resolveram mudar novamente de cidade, na verdade voltarmos para Campo Grande – MS, e isso era tudo o que eu menos queria, mas depois de muita insistência deles eu voltei. O que eu não sabia era que aqui nessa capital com cara de interior morava meu futuro e eterno marido, casamos depois de 1 ano e 8 dias de namoro em 2012 e logo no início de 2014 descobrimos a gravidez.

Tudo indicava que a Cecília nasceria antes do dia 30 de outubro, data de aniversário do pai, mas ele espalhava com convicção que ela nasceria dia 30. Eu estava de 40 semanas e 2 dias sem nenhuma dor ou contração quando minha médica me mandou pro hospital na tarde do dia 29 de outubro, lá fizeram o toque e nada, me mandaram pra casa. E não é que na madrugada do dia 30 eu amanheci com um sangramento? Só deu tempo de dizer:

– Amor, feliz aniversário! Tô sangrando vamos pro hospital!

Ainda me pergunto até hoje de onde veio a minha calma, porque o meu maior medo era o parto. Lá, o médico olhou pra mim e disse: você será a próxima. Fui muito bem tratada por toda equipe, mas infelizmente sofri violência obstétrica, das menores, mas sofri. Já anestesiada e com falta de ar amarraram os meu braços e o Guilherme se quer foi convidado a assistir o parto, sorte que na época minha prima farmacêutica trabalhava no hospital e participou de tudo!

A caminho do quarto, eu estava bem, sem dores e muito feliz com a Cecilinha ali do meu lado, eu só queria ver todo mundo e ir logo pra casa, pra ficar mais a vontade, mas lá eu permaneci por 6 dias, quem disse que a Cecília queria mamar? De meia em meia hora eu ordenhava, porque tinha muito leite, a Cecília tomava só no copinho, porque sugar mesmo ela não queria. Fiquei firme até o dia em que uma senhorinha do banco de leite veio me ensinar a fazer a ordenha, mesmo depois de ter feito váááárias. Ela me apertou tanto, mas tanto que não aguentei de dor e ela só soube dizer: “É, na hora de fazer o bebê foi gostoso né?”

Depois disso não consegui mais parar de chorar, e o que eu mais queria era o colo da minha mãe, mas infelizmente não era possível, esse colo só chegou depois de 1 mês. E com a ajuda da fonoaudióloga do hospital consegui realizar por apenas 15 minutos o meu sonho de amamentar. Mesmo em casa, continuamos com as sessões de fono pra que a Cecília mamasse mais e mais, o problema não era bico, não era leite e nem a pega, porque ela sabia como fazer, ela tinha mesmo era preguiça de sugar e após 20 encontros chegamos a conclusão que até mesmo por nossa relação, era melhor parar de insistir, a cada tentativa a Cecília ficava mais e mais nervosa e não vou negar que eu ficava também.

Deixando de lado essas pequenas coisinhas, ter um bebê é a experiência mais gostosa que existe, é inexplicável é ainda mais inexplicável o quanto nós mães nos transformamos realmente em leoas, da noite pro dia, para defender o filhote, é inexplicável como o nosso sono pesado se torna leve e saltamos da cama ao ouvir um chorinho, é inexplicável o quanto nem nos lembramos se realmente penteamos o cabelo, mas temos a certeza que o lacinho está no cabelo da filha e que combina com o look dela, é inexplicável saber que dá trabalho que é cansativo mas que a gente quer ele aqui pertinho da gente bagunçando cada vez mais a nossa sala, as gavetas e tudo mais que eles conseguem nos surpreender.

Hoje posso dizer que depois que me tornei mãe, amo ser mãe e que a cada dia aprendo um tiquinho assim sobre esse universo chamado maternidade.

_DSC7599

Laryssa Macedo, casada com Guilherme, mãe da Cecília de 1 ano e 5 meses, jornalista, cuidadora e agora to me achando a blogueira rs

Anúncios

9 pensamentos sobre “Depois de 9 meses você vê o resultado, rs

  1. lourdesdecdic disse:

    Republicou isso em lourdesdecdice comentado:
    Que triste que mamãe não pode estar presente… Sofri muito por isso e ainda sofro. As malditas circunstâncias daquele momento me impediram. Desta vez precisa ser diferente… O Senhor há de prover.

    Curtir

  2. Maria Lourdes Rodrigues Cabreira disse:

    Presentes de valor inestimável que o Pai Celestial deu para mim.

    Curtir

  3. Jerusa disse:

    Lindo depoimento que voce sempre seja muito abençoada e feliz com seus filhos e esposo.

    Curtir

  4. Stela Marys disse:

    Q lindo Prima.
    Parabéns e Felicidades a vcs todos.
    😘😘😘

    Curtir

  5. Jéssica França disse:

    Lindoooo Larye.
    Saudadessss!
    Você com certeza é uma ótima mãe, assim como foi prof do seminário.

    Toda felicidade sempre.
    Que Deus abençoe cada vez mais sua família!

    Curtir

  6. Cris Rocha disse:

    Que lindo seu relato Lary! Essa maternidade é boa demais msm, apesar de toooodas as dificuldades diárias (to aqui com dois gatinhos doentinho por exemplo), mas não trocaria por nada nesse mundão! Nem sei mais quem eu era antes de ser mãe. Bjos flor! Linda sua foto com a Cecília!

    Curtir

  7. Izabel Perrotti disse:

    Que lindo depoimento!! Nossa Lary não sabia a ia história de parto,isso eh realmente violência obstétrica! E nenhuma violência pode ser comparada pouca! Infelizmente muitas mulheres sofrem isto aqui no Brasil mas muitas vezes bem sabem que isso tem nome e não deve ser aceito eu sofri, não tanto como muitíssimas minhas,mas a minha violência me levou a ter uma Cesária que provavelmente não era nem um pouco necessária. E o pior eh que eu nem sabia que tinha sofrido injustiças até u engravidar de novo quase 4 ano a depois e me informar mais sobre o assunto de parto. Os médicos e profissionais da saúde querem te convencer que tudo isso eh normal e quem mandou engravidar? Quem mandou não fazer uma cesariana de hora Marcada? Escolheu normal merece sofrer.. mas apesar de tudo e de que não eh fácil viver em função de outro ser sem dormir e sem se alimentar direito, não existe ale v ria maior do que ser mãe! Não existe crescimento e amadurecimento maior,satisfação pessoal e nenhuma outra maneira de nos sentirmos mais próximas de nosso pai Celestial!

    Curtir

  8. Janaina greffe disse:

    Mto bonito!! Deviam colocar cartazes nas maternidades com frases proibidas de serem ditas… Parabéns!! E que venham mais experiências novas pela frente.

    Curtir

  9. Deborah Cristhina Sonoda disse:

    Lindo depoimento Laryssa …

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: