A maternidade por nossas mães – Parte 2

13

11 de maio de 2016 por trupematerna

nós

Natalia, Thiago e Jerusa. (Foto: Arquivo familiar)

A segunda mãe convidada para falar sobre maternidade é a Jerusa, mãe da Natalia.

É muito bom ter em quem se espelhar para tentar ser melhor a cada dia. Com certeza quero ser o exemplo para minhas filhas, da mesma forma que minha mãe é para mim. Temos 32 anos de convivência, amor e amizade (uns 11 anos como amigas né mãe?). Minha vida é mais feliz com seus sorrisos, conselhos, broncas, ensinamentos, exageros, reclamações, opiniões, preocupação. Obrigada por tudo! Amo você…

Ela escreveu lindamente. Espero que gostem tanto quanto eu gostei. Boa leitura!

Ser MÃE…

Minha filha, que é jornalista e escreve muito bem, me pediu para escrever sobre a minha própria jornada da maternidade. Difícil tarefa.

Não vou passar uma visão poética, bela e cheia de elogios. Quem é mãe sabe que a realidade da maternidade é cheia de trabalho duro, braçal e até mesmo insalubre.

Quando eu e o Mauro nos casamos o desejo de sermos pais estava muito presente. Nós não tínhamos a noção exata da responsabilidade e dos sacrifícios que teríamos que fazer para construir nossa família, talvez por sermos muito jovens, tínhamos apenas 21 anos.

Apenas alguns dias antes de completar 22 anos nossa primeira filha nasceu, colocamos o seu nome de Natalia, em homenagem a minha mãe. Ela nasceu e no mesmo instante fiquei completamente apaixonada por aquela garotinha linda de olhos azuis. Todas as outras tarefas que não fosse cuidar dela eram difíceis. Sentir seu corpinho junto ao meu trazia uma alegria tão profunda que eu nunca poderia imaginar. Ver seus primeiros passos e palavras foi maravilhoso. Ela era uma princesa que contrastava com a falta de bens materiais da nossa família.

Dois anos depois do nascimento dela desconfiei que estivesse grávida outra vez. Fui ao médico e uma ultrassom mostrou que eu estava com cisto de ovários, por isso ele receitou uma medicação e eu fiz uma coisa que normalmente não fazia: “li a bula do remédio”. Lá estava escrito que em caso de gravidez o remédio não devia ser utilizado. Decidi esperar e tomar apenas quando tivesse certeza de que não estava grávida. Algumas semanas depois, num novo exame, vimos pela primeira vez o coração do nosso segundo filho bater, era o Thiago. Ele cresceu e se tornou farmacêutico bioquímico.

Com ele foi diferente. Durante a gravidez me questionava se seria possível amar outra pessoa como amava a Natalia, tive medo. Ele nasceu e o amor foi chegando devagarzinho construído com todos os cuidados, conversas, carinho que tive com ele.

As tarefas da maternidade parecem uma lista infinita de coisas a fazer, limpar, nutrir, ensinar, brincar, apartar as discussões de irmãos, levar e buscar da escola, lavar e passar as roupas, preparar as refeições, fazer as crianças comerem, corrigir, brigar, colocar de castigo, ninar, cantar, orar…beijar, beijar, amar e amar.

A mulher é um multifacetário, consegue ser profissional, amiga, irmã, filha, líder e muitas outras coisas juntas e misturadas ao mesmo tempo. Com meus filhos, descobri que amo tudo que faço, mas o que mais amo é ser sua mãe, Natalia e Thiago.

Eles cresceram, fizeram faculdade, casaram e quando você tem plena certeza que é impossível amar alguém mais do que você ama seus filhos – por que você é capaz de dar a sua vida para protegê-los -, eles conseguem te surpreender e chegam os filhos de seus filhos. Amor inexplicável, mas essa é uma nova história para o dia das vovós!

Anúncios

13 pensamentos sobre “A maternidade por nossas mães – Parte 2

  1. LUCIANA ARAUJO BENTO disse:

    Que linda história de amor!!

    Curtir

  2. Jerusa disse:

    Obrigada filha.

    Curtir

  3. Elisandra disse:

    Parabéns Jerusa, palavras que expressam o sentimento de todas nós mães!

    Curtir

  4. Ana Paula disse:

    Parabéns Natália pela família linda…mãe amiga, guerreira, admirável, pai amigo e presente..
    Deus os abençoe sempre, bjao

    Curtir

  5. Mériele Oliveira disse:

    Que relato lindo!
    Sabe, Natalia, fico emocionada e muito contente cada vez que vejo algo relacionado a você e à Jerusa, porque tive a chance de trabalhar com as duas e posso dizer que são duas guerreiras!
    Parabéns pelo blog, está cada vez mais lindo!
    Beijos!

    Curtir

  6. Monaliza disse:

    Que lindo!!! Sinto exatamente assim!! Bjos Jeje 😘

    Curtir

  7. Leonina Carvalho correa disse:

    Lindo relato… Mas lindo mesmo é conhecer e fazer parte desta história ,sou testemunha deste amor , desta dedicação e posso dizer você é uma super mãe que até adotou meus filhos como seus quando mais precisamos ti amo amiga 😍💋

    Curtir

  8. ERIKA DE OLIVEIRA LEITE TENORIO disse:

    Jejê amiga… Sábias palavras e considerações como você … Pessoa iluminada e com seu jeitinho especial d conduzir cada situação… Vc é inesquecível e uma grande amiga!!! Obrigada pela oportunidade d conhecê-la e conviver com você em nosso ambiente d trabalho!!! Mil bjs… Erikinha.

    Curtir

  9. Maria de Fátima Cardoso disse:

    Que lindo.

    Curtir

  10. Mara Regina Severo Ramos disse:

    Que lindo depoimento Jerusa. É bem assim. Amar os filhos e viver para eles e por eles. Lindo texto. Parabéns para vc e para sua filha. Bjssssss

    Curtir

  11. Ivani disse:

    Ser mãe uma bênção divina, o senhor escolheu a mulher para essa missão tão importante. Ser mãe é ser feliz.

    Curtir

  12. mauro disse:

    Como marido da Jerusa e pai da Natalia e do Thiago so posso concordar e rir.rsrsrsrs…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: