Relato sobre o uso de âmbar

1

2 de fevereiro de 2017 por trupematerna

Sou Renata, casada há 8 anos com Alessandro, tivemos nossa primeira filha, a Lívia em 2015 e para não perde o embalo em 2016 tivemos o Isaque.

foto

Foto: Arquivo Pessoal

Aqui em casa tivemos problemas com os primeiros dentes da minha mais velha quando ela tinha 7 para 8 meses. Ela ficou bem irritada, teve febre, alterou o sono e apetite dela, o humor ficou bem insuportável, sem contar a saúde dela, que teve diarreia,  assadura (pelo que li na época, muita frequência de assadura pode ser ocasionado pelas erupções porque deixa o cocô ácido) e para ajudar  com tudo isso, a imunidade dela caiu e veio um belo resfriado, ai já viu ne?! Entrou no antibiótico porque ficou com uma catarreira sem fim!

Faltou na creche e tivemos que tratar o resfriado e ter paciência para esses dentes nascerem. Para todos que eu falava que ela estava sofrendo com os dentes falavam que era normal, mas eu não aceitava aquele sofrimento dela, de verdade, queria evitar que ela tivesse esse turbilhão de problemas por conta da dentição. Comentei com uma amiga (Laine, obrigada amiga por me ajudar <3) e ela me disse sobre um tal colar âmbar. Ela sempre usou na filha dela que tem a mesma idade que a Lívia, e nunca, nunquinha mesmo, ela teve problemas relacionado a dentição. Ela contou a experiência dela com colar, mas mesmo assim não me convenceu muito, ( ela vai saber disso depois de ler essa matéria hahahahaha) e da diferença notável quando ela perdeu o colar da Marília e começou a aparecer um monte de sintomas de novas erupções dentárias. Eu, não convencida resolvi pesquisar sobre ele,  ler outros depoimentos e o benefício do âmbar, e foi  partir dessa  minha curiosidade com ele que comecei a ficar convencida que ele era mesmo mágico.

Os benefícios do âmbar é devido o ácido succínico que  contem no âmbar que chega de 3 a 4%, uma substância naturalmente terapêutica muito eficaz no combate à inflamações. Mas para obter os benefícios terapêuticos do âmbar báltico, é necessário que o âmbar esteja diretamente em contato com a pele, ou seja, nada de usar de vez em quando ou colocar só quando lembrar, porque esse ácido é liberado somente com o calor do corpo.

Depois de todas as pesquisas não me restou dúvida de não adquirir um colar de âmbar para minha pequena. Falei para Laine do meu interesse no colar e compramos juntas o colar para nossas filhas.

Comprei o colar e 2 semanas depois, enquanto eu brincava com ela e ela dava gargalhada com a boca aberta notei 4 dentes nascendo de uma só vez, sim 4 dentes, nossa nunca imaginei que ficaria tão feliz em ver os dentes dela apontando. Foi a partir desses 4 dentes nascendo que realmente acreditei no colar. No início eu tirava colar e colocava como tornozeleira para que ele continuasse agindo no corpo dela, hoje ela com 1 ano e 8 meses não tiro nem para dormir, somente para banho, pois quanto menos molhar o cordão de algodão do colar, maior a durabilidade dele. O sono dela melhorou bem, ela tinha um sono bem agitado e os resfriados diminuíram muito mesmo ela indo em creche.

Hoje Lívia ainda não tem todos os dentes, a Marília, filha da amiga que citei, já nasceu todos os dentes sem nenhum incomodo usando o colar e essa semana durante o jantar percebi que está nascendo os 2 caninos de Lívia, e não sei porque, mas dizem que os caninos são os piores dentes para nascer que a dor é intensa e traz muito incomodo para criança e só percebi que estavam nascendo por que ela apontou para a boca tentando dizer que tinha algo na boca. Fui olhar e eram os caninos, mas continuou a jantar normalmente.

Só para salientar:  a erupção dentária não é regra dar esses incômodos e transtornos em todos os bebês, alguns são suscetíveis a isso e para outros os sintomas passa batido, que foi o que aconteceu com minha outra amiga Josi, que não teve problema algum de dentição com o Rafael na época e ela nem podia me passar a experiência e dicas para aliviar os incômodos da Lívia hahahahahaha.

Claro que com meu segundo filho eu não hesitei em comprar também. Comprei quando ele tinha 1 mês, mas de fato comecei a usar nele com 3 meses, como ele ainda é muito novinho e o colar fica um pouco grande e como tornozeleira fica larga, eu tiro para dormir e para o banho, mas passa o dia todo de colar.

Vou contar uma outra experiência que tive com esse colar e que não li em nenhum depoimento isso.

Para os pais que dão vacinas em rede particulares, sabem que a vacina Hexa está em falta desde novembro nas clínicas particulares para crianças de 2, 4 e 6 meses. Isaque teria que tomar a vacina de 4 meses, e com essa falta nas clinicas não teve jeito, a pediatra dele orientou dar no posto a Penta mesmo, já que a previsão do retorno da vacina Hexa  nas clinicas seria só em Março ou Abril. Então lá vamos nós, torcer para não dar nenhuma reação ou incomodo nele, porque eu já li altos relatos e muitas amigas já tiveram grandes problemas com essa vacina nos filhos. Na realidade deixei atrasar algumas vacinas dele L, então ele teria que tomar 4 injetáveis e 1 oral… um caminhão de vacina, tadinho!

Demos a vacina de manhã no posto e a enfermaria disse que a reação começaria no início da tarde e já disse para dar a dipirona para não dar febre ou coisa do tipo. Mas vou falar a verdade, eu particularmente sou meio índia para esse lance de remédio, gosto de remédios naturais, quanto menos alopáticos entrar no meu organismo ou dos meus filhos eu prefiro, principalmente usar assim, sem ter os sintomas para usar um medicamento, e dito e feito, não dei remédio algum para ele até ele ter algum sintoma para isso!! A perninha dele ficou dolorida a manhã toda, ele que tem uma agitação na perna, sempre que ele se mexia era um choro, ai já fiquei imaginado como seria minha madrugada. Já deixei termômetro e dipirona no jeito na cabeceira da minha cama caso ele tivesse febre, mas para a minha surpresa a nossa madrugada foi uma benção… o guri dormiu bem e não teve nenhuma febre ou incômodo!!  Ao acordar já disparou um sorriso e percebi que estava tudo bem!!

Pois é, eu acredito que quem colaborou com isso foi o colar sim, pois como coloquei logo acima, ele é um anti-inflamatório natural, com certeza ele deve ter agido no corpo dele.

Uma coisa que sempre digo: o âmbar ele não deixa de não dar 100% dos incômodos, ele alivia muito, mas os incômodos podem existir, mas com uma intensidade bem menor.

Minha sincera opinião de tudo isso? O âmbar para nós resolveu muito. Recomendadíssimo.

Anúncios

Um pensamento sobre “Relato sobre o uso de âmbar

  1. lainemc disse:

    Aqui também notei essa diferença na hora da vacina… Marília tomou agora no particular a meningocócica B e além da pediatra as duas moças (da recepção e a que aplica a vacina) me disseram que dá reação (perna dolorida de chegar a mandar, febre, diarréia e inchaço local) e graças ao colar Marília não teve nada e eu como sempre também não mediquei antes e nem precisou depois! 😉

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: